Vacina contra a Febre Amarela

A Annie, uma grande amiga do Zupper, vai tirar alguns dias de folga no próximo mês de março e um dos países que ela irá visitar, será a Bolívia.

Nem todos os viajantes sabem disso, mas podem existir algumas exigências para quem vai visitar alguns destinos. E uma delas pode envolver vacinas específicas, como foi o caso da viagem de Annie.

Annie, como sempre bem precavida, fez uma pesquisa antes de marcar sua viagem e percebeu que o seu destino era considerado uma zona de ocorrência da Febre Amarela e, portanto, precisava tomar a vacina contra ela. Como nunca havia passado por isso, fez uma bela pesquisa pela internet e nos passou algumas informações que a ajudaram.

Primeiro, ela pesquisou se o destino que iria visitar exigia esse tipo de cuidado. Acessou o site da Organização Mundial de Saúde e encontrou a lista de países para os quais é necessário possuir o CIVP, Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia. Quem aplica normas como essa é o Regulamento Sanitário Internacional (RSI). E esse documento, o CIVP, nada mais é do que a comprovação de que você tomou a vacina contra a Febre Amarela e/ou outras doenças.

Essa vacina pode ser tomada em diversos Postos de Vacinação, mas nem todos eles poderão emitir o CIVP. Você terá que ir até um dos Centros de Orientação para a Saúde do Viajante da ANVISA ou outros serviços credenciados, para poder emiti-lo.

Portanto, pesquise em sua cidade, quais são os postos que aplicam a vacina contra a febre amarela e após tomá-la, verifique qual o centro representante da ANVISA que poderá te fornecer o CIVP.

A dica da Annie, para quem mora na cidade de São Paulo, é de ir até o Instituto Emílio Ribas. Lá você toma a tal vacina e já sai com o CIVP nas mãos. Para agilizar o atendimento, ela acessou o Portal da Anvisa e já realizou um pré-cadastro. Aliás, é fundamental visitar o site da Anvisa para ter acesso a esse tipo de informação sempre atualizada, como a lista de Serviços de Vacinação Privados credenciados, lista de países que exigem o certificado, Centros de Orientação ao Viajante e outras informações importantes.

A vacina deve ser tomada pelo menos 10 dias antes de sua viagem e sua validade é de 10 anos (dado esse que pode ser alterado, portanto, verifique sempre informações atualizadas no site da Anvisa). O CIVP poderá ser emitido de forma gratuita pelo SUS – Sistema Único de Saúde.

Veja aqui como é a Certidão Internacional de Vacinação ou Profilaxia.

Certificado Internacional de Vacinação e  Profilaxia 1

Certificado Internacional de Vacinação e  Profilaxia 2

Orientações gerais aos Viajantes

– Antes de viajar, pesquise se o seu destino oferece algum tipo de risco para a sua saúde. Faça isso com 4 a 8 semanas de antecedência. Algumas vacinas possuem tempo de incubação que devem ser respeitados.

– Tome a vacina e siga as recomendações que lhe forem passadas.

– Se sentir-se doente quando voltar de viagem, informe seu médico sobre os destinos visitados nos últimos 12 meses.

– Considere esse certificado como um documento e conserve-o. Ele poderá ser utilizado em outras viagens enquanto estiver dentro de sua validade.

Links externos

portal.anvisa.gov.br
www.who.int

Seja o primeiro a comentar

Ninguem comentou ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Comente aqui

Pergunta de Segurança (CAPTCHA) *

    Destinos mais procurados

  1. Saiba aqui o que Buenos Aires tem de “tan querida”
  2. Aeroporto Internacional John F. Kennedy (JFK) – New York
  3. Dicas de como preparar sua bagagem de mão em uma viagem internacional de longa duração
  4. Conheça a cidade de Londres
  5. Lugares para curtir a neve em Julho
  6. Fortaleza, Ceará